quinta-feira, 5 de março de 2009

O Entrudo visto por E. Madeira

5 comentários:

Gisela disse...

Incrível como a festa do entrudo passa em branco na perspectiva do E.! Um verdadeiro artista nunca é reconhecido pelos seus contemporâneos... Mas a festa foi bué da fixe, diria o meu sobrinho alfacinha.

JBS disse...

A história orgulha-se de reabilirtar quem cntributos deu para o seu processo. Mas não seja por isso. O balhum de segunda-feira de Entrudo foi uma oportunidade para se desancar em quem pouco lhe interessa ficar para a história. Não vou ao exagero de dizer que adorei, pois só a UM é que me prosto de joelhos. Mas direi que aqui também se faz bom teatro de bota a baixo.
Gostei e gostaria que houvesse uma reprise, como manifestou uma vizinha que esteve ausente por razões ponderosas.

Edgardo disse...

Estas fotografias evidenciam a distinção de perspectiva que, claramente, evidencia a Identidade de um artista autêntico!

Edgardo disse...

Sinal distintivo de tantos (tantos quantos possível, considerando o mundo...)artistas de autenticidade... é o de, por tão longos tempos, passarem sem o reconhecimento devido...

Edgardo disse...

Vaz de Camões, Barbosa du Bocage, Bento de Sampaio...

Quão semelhante acho vossos fados ao meu!